VOCÊ ESTÁ EM: HOME / NOTÍCIAS /

Dra. Nathalia Mastrocola Luz

SAÚDE E BEM-ESTAR


EMAGRECIMENTO E QUALIDADE DE VIDA

MÉDICA ENDOCRINOLOGISTA DESTACA ERROS MAIS COMUNS QUANDO O ASSUNTO É PERDER PESO


SEM LEGENDA

Ficar em forma, mantendo saúde e bem-estar físico é fundamental. Mas, principalmente nesta época de isolamento social, subir na balança sem ter o temido aumento do peso é quase impossível. “Longe, por meses, das atividades que colocam o corpo em movimento, tanto ligadas ao trabalho quanto à prática de exercícios físicos, além de ficar muito tempo em camas e sofás. Acrescente tudo isso a alimentos em excesso. Pronto. Essa é a receita perfeita para não só ganhar peso, mas também, para boa parte da população obesa, piorar o quadro desta que é considerada uma doença grave”, alerta Dra. Nathalia Mastrocola Luz, médica endocrinologista da “Clínica Duopelle”, de São José do Rio Preto. “É preciso também ficar longe de dietas da moda e de dicas de quem não pertence às áreas de atuação que envolvem o emagrecimento. Em primeiro lugar, porque quando falamos de excesso de peso não nos referimos apenas em relação à estética mas principalmente porque estamos falando de uma doença que necessita ser tratada”, explica. “É muito importante esclarecer que, do ponto de vista da endocrinologia, a base principal é a saúde de forma geral. A melhora da autoestima que estão ligadas à forma física, portanto, é consequência diante dos resultados positivos que envolvem este campo da medicina em associação a demais áreas”, acrescenta. E quais são os erros mais comuns que as pessoas, de modo geral, cometem quando o assunto é perder peso? Dra. Nathalia comenta:

1) Não praticar atividades físicas

“Muitas pessoas ligam as atividades físicas a longas horas de ‘sofrimento’. Na verdade, cada um deve buscar atividades que façam bem, seja caminhar, correr, andar de bicicleta, pular cordas, nadar. Muitos desistem de praticar por sentirem dificuldade no início. A dica é começar devagar. Aos poucos, o corpo vai se acostumando e ganhando condicionamento. Há uma infinidade de coisas que se enquadram neste contexto e todas auxiliam nos resultados. Associar as atividades aeróbicas à musculação também é muito benéfico. Elas se complementam de forma que haja a redução do peso, sem perder massa magra”.

2) Não tomar Água

“A água não é apenas vital para o ser humano. Além de hidratar, ela também auxilia no processo metabólico. O ideal é tomar acima de dois litros de água por dia. Ao contrário do que muitos pensam, quanto mais água, haverá menos inchaço corporal. Obviamente que também não é preciso cometer exageros tomando acima do recomendado”.

3) Não se alimentar de forma saudável

“Na realidade, quando o assunto é alimentação, as pessoas costumam saber bastante a respeito do que não faz bem. Mas acabam errando ao ingerir, em excesso, alimentos considerados perigosos justamente por serem ricos em carboidratos, além de frituras, bebidas com açúcar; a exemplo, os refrigerantes, e, até mesmo, sucos naturais altamente calóricos. Existe a falsa ideia de que alimentos saudáveis não engordam. Se não dosados, engordam e muito. Toda reeducação alimentar deve prezar pelo equilíbrio entre os diversos grupos de alimentos. Dietas da moda, dietas milagrosas, dietas da internet, nada disso é aconselhável, porque quem sofre com excesso de peso tem que ser analisado de forma individual. Na verdade é impossível acertar a receita ideal da alimentação de maneira generalizada, até mesmo porque o estilo de vida de cada um e os hábitos do cotidiano pessoal devem ser levados em conta. Sendo assim, é muito recomendado o acompanhamento com médico, em conjunto à atuação de profissionais da área de nutrição e educação física”.

4) Não dormir

“Está aí um grande problema. É preciso que a qualidade do sono seja boa para o equilíbrio hormonal. Vários hormônios tem muita relação com o sono. Em excesso ou em falta influenciam negativamente no ciclo do sono prejudicando inúmeras funções metabólicas do organismo”.

5) Não procurar ajuda especializada

“Exames como o de sangue são indispensáveis para que o profissional da área médica possa analisar possíveis desequilíbrios, tanto no que diz respeito às vitaminas, quanto aos hormônios. O metabolismo e a ação hormonal são interligados no processo da perda de peso. Depois de feitos os exames, o ideal é, como já tido, a união da força de vontade do paciente junto à atuação médica, nutricional e as ligadas às atividades físicas”.




Veja Também