ÚLTIMAS DA REDAÇÃO

VOCÊ ESTÁ EM: HOME / SAÚDE /

Os riscos da endometriose e da adenomiose uterina

Saúde Feminina

Os riscos da endometriose e da adenomiose uterina

Ressonância Magnética e Ultrassonografia Endovaginal são fundamentais para o diagnóstico e tratamento correto

SEM LEGENDA

A endometriose se caracteriza pelo surgimento de pequenos fragmentos do endométrio fora da cavidade uterina. Ou seja, na cavidade abdominal. Por exemplo, nas trompas, nos ovários, na parede de alças intestinais. Esses pequenos fragmentos de endométrio também sangram mensalmente, coincidindo com o ciclo menstrual, provocando irritação ao seu redor e, consequentemente, um processo inflamatório. Dados do Ministério da Saúde revelam que, atualmente, a endometriose atinge seis milhões de mulheres no Brasil.Conhecida com endometriose interna, a adenomiose uterina tem maior ocorrência em pacientes com idade em torno de 40 anos - fase em que os sintomas se agravam; mas melhoram com a menopausa – caracteriza-se pelo surgimento de pequenos fragmentos do endométrio no miométrio, que é a camada muscular da parede do útero. “Nesse caso, toda vez que a mulher fica menstruada também há sangramento dentro da musculatura do útero, provocando irritação e um processo inflamatório”, explica a médica radiologista do Ultra-X, Débora Esperancini Tebar. As causas, tanto da endometriose, quanto da adenomiose, ainda são desconhecidas. No entanto, estudos mostram que há influência dos hormônios femininos na formação de ambas. Além da idade, outros fatores podem colaborar para o aparecimento da adenomiose, como mais de uma gestação, primeira menstruação (menarca) precoce, além de ciclos menstruais curtos. Dados mostram que cerca de 1/3 das mulheres com a adenomiose são assintomáticas e 2/3 apresentam sintomas, como fluxo menstrual extenso e volumoso, cólicas intensas, dor durante o ato sexual, sangramento fora do período menstrual, distensão da região inferior do abdome e infertilidade. “É considerada uma doença benigna, mas com importante impacto clínico devido aos sintomas que a acompanha”, afirma Débora. Os sintomas da endometriose são dismenorreia (menstruação difícil), dor pélvica crônica, infertilidade, irregularidade menstrual, alterações urinárias e intestinais.“Com a melhora do diagnóstico da adenomiose e da endometriose antes de uma cirurgia, com ultrassonografia endovaginal e a ressonância magnética, temos condições de fornecer embasamento para ajudar o médico quantos às possíveis condutas, de acordo com as particularidades de cada paciente, melhorando, assim, a qualidade de vida destas mulheres”, conclui a médica.




Veja Também