Edição 146

Clique na imagem abaixo para folhear nossa revista



CURTA NOSSA PÁGINA

VOCÊ ESTÁ EM: HOME / SAÚDE /

DR. LUCAS CANIZZA PACHECO

ARTIGO
DR. LUCAS CANIZZA PACHECO
FOTO: MILTON FLÁVIO
 

Tratamentos combinados

no rejuvenescimento facial

 SEM LEGENDA
Um dos grandes desafios da medicina é o rejuvenescimento da face. O envelhecimento facial é um processo complexo, que acomete ossos, músculos, ligamentos, gordura, pele e pelos. Além disso, é influenciado por fatores genéticos e ambientais como exposição solar e tabagismo. No entanto, a evolução da ciência permite um tratamento individualizado para cada segmento acometido, determinando um resultado mais efetivo, duradouro, natural e seguro. Dessa forma, uma abordagem multidisciplinar e a associação de tratamentos cirúrgicos e não cirúrgicos,  potencializam seus efeitos, contribuindo para um melhor resultado.
No passado, as primeiras técnicas consistiam em tração excessiva e extensas retiradas de pele, determinando resultados “tímidos” e não naturais (pele esticada), os quais, ainda hoje, desencorajam muitos pacientes. Atualmente, a “ritidoplastia” ou “lifting facial moderno” se baseia no reposicionamento e reforço de estruturas mais profundas à pele, realizados por meio de incisão delicadamente posicionada no contorno da orelha. Dessa forma, a mobilização e retirada do excesso de pele sobre essas estruturas são realizadas sem tração excessiva, obtendo-se um semblante natural, com cicatrizes pouco perceptíveis e rápida recuperação.
Outros procedimentos cirúrgicos são frequentemente associados à “ritidoplastia”, com o objetivo de se obter um resultado mais abrangente e harmônico. Dentre eles, podemos destacar:
•  Blefaroplastia (cirurgia das pálpebras): indicada para tratamento da flacidez palpebral e para remoção das bolsas de gordura dessa região;
•  Lipoaspiração e a Plástica Cervical: proporcionam melhora no contorno e jovialidade do pescoço;
•  Lipoenxertia: procedimento no qual a gordura da própria pessoa, retirada por meio de uma pequena lipoaspiração, é processada e usada para preenchimento de rugas e para aumentar o volume de lábios e das “maçãs do rosto”.
•  Bichectomia: retirada de gordura nas bochechas com melhora do contorno facial.
Além desses, as tecnologias e os procedimentos minimamente invasivos ganham cada vez mais espaço no tratamento dos sinais do envelhecimento facial. Eles têm como vantagem a simples e rápida execução em consultório, bem como conforto do paciente e a pronta recuperação.
Atualmente, os fios de sustentação absorvíveis (ácido polilático) são utilizados em pacientes selecionados, como uma alternativa aos tratamentos cirúrgicos. Posicionados abaixo da pele proporcionam um levantamento (lifting) nas áreas de flacidez, com melhora imediata do contorno facial e rejuvenescimento. Nesse procedimento, destacam-se a ausência de cicatrizes e a pronta recuperação. Destacam-se ainda a “toxina botulínica” e os preenchedores injetáveis (ácido hialurônico, hidroxiapatita, ácido polilático, etc.), usados para suavização de rugas e sulcos, restauração de volume facial e reposicionamento de sobrancelhas.
Por fim, os diversos tipos de laser, peelings químicos e equipamentos estéticos têm notável contribuição para o clareamento de manchas, melhora de cicatrizes e recuperação da firmeza e textura cutâneas.
Diante desse vasto cenário de opções terapêuticas e preventivas, a abordagem criteriosa por um profissional capacitado favorecerá maior integralidade do tratamento e, certamente, favorecerá melhores resultados.

Clínica Canizza
Dr. Lucas Cannizza Pacheco - CRM 118079
- Cirurgião Plástico - membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) e Membro Internacional da “American Society of Plastic Surgeons” – ASPS
- Especialização em Cirurgia Cosmética Facial e Rinoplastia pela “University of Texas Southwestern Medical Center”, Dallas, Texas (EUA).
- Fellowship em Cirurgia Cosmética Facial com Dr. James M. Stuzin em Miami, Flórida (EUA).
- Fellowship em Cirurgia Plástica Estética e Reparadora pós grandes perdas ponderais no “Hurwitz Center for Plastic Surgery” e na Universidade de Pittsburgh (UPMC)



Veja Também