Edição 141

Clique na imagem abaixo para folhear nossa revista



CURTA NOSSA PÁGINA

VOCÊ ESTÁ EM: HOME / SAÚDE /

MEDICINA DO ESPORTE E EXERCÍCIO


SAÚDE
FOTO: MILTON FLÁVIO



SEM LEGENDA

MEDICINA DO ESPORTE E EXERCÍCIO

Dr. Vitor Mattos fala da importância da atuação do médico do esporte
para práticas adequadas de atividades físicas

Quando ouvimos falar em medicina desportiva, a primeira imagem que nos vem à cabeça é aquele médico à beira do gramado, atendendo jogadores contundidos.
Mas esses não são os únicos a se beneficiarem da atuação de um médico do esporte. Do praticante de musculação ao maratonista, passando por todas as modalidades esportivas individuais ou coletivas, todos são tratados de modo diferenciado pelo médico do esporte. Em especial, aqueles que buscam uma mudança no estilo de vida, almejando saúde, bem-estar, longevidade e, principalmente, desejam abandonar o sedentarismo, mas não sabem onde buscar orientação.
A atividade física, sendo bem indicada, proporciona inúmeros benefícios à saúde dos praticantes, que vão desde a melhora da resistência muscular, prevenção de sarcopenia - perda de massa e força da musculatura com o envelhecimento -, reversão de quadros de obesidade, estímulo à regeneração de células do organismo, renovação de neurônios, melhora da frequência cardíaca e pressão arterial, prevenção, manutenção e até a regressão de quadros de diabetes tipo II, entre muitos outros. “Todos os praticantes de exercícios físicos devem ter acompanhamento especializado. A medicina desportiva impacta positivamente de diversas maneiras, como na inclusão de exercícios adequados para pacientes em fase de reabilitação, na relação do atleta com seu esporte, reduzindo as chances de complicações e, sobretudo, na prevenção de doenças crônicas”, explica o Dr. Vitor F. Mattos, médico desportista, de São José do Rio Preto. Formado pela Universidade do Oeste Paulista, pós graduado em medicina do esporte e exercício pela Universidade Católica de Petrópolis, no Rio de Janeiro, o profissional explica que, na consulta, é realizada uma avaliação completa, passando desde queixas rotineiras, histórico pessoal de doenças crônicas, ou lesões, avaliação nutricional, exame de bioimpedância, que é o exame que permite avaliar a composição corporal, porcentagem de massa gorda e massa magra, e exame físico. “Além desses, são indispensáveis os testes laboratoriais e de capacidade física, visando uma abordagem integral da saúde e performance do paciente”, acrescenta Dr. Vitor. “Atualmente, a cidade de São José do Rio Preto vive uma ‘febre esportiva’ muito grande, notada pela grande quantidade já presente e inaugurações frequentes de novas unidades de academias. Também temos, à nossa disposição, alguns cenários maravilhosos para prática de exercícios físicos, como, por exemplo, os lagos da represa, onde podemos presenciar inúmeros grupos de assessoria esportiva e praticantes em busca de lazer. Seja qual for o objetivo de cada um, há a necessidade de uma avaliação prévia, sendo esta a função do médico do esporte, avaliar o indivíduo antes, durante e depois da atividade física”, orienta. “É importante ressaltar que o médico do esporte não substitui outros especialistas, tampouco, outros profissionais da área da saúde, como o educador físico, o nutricionista e o fisioterapeuta, que dão suporte à especialidade. Portanto, o paciente hipertenso continuará seu tratamento com o cardiologista, bem como o portador de hérnia de disco permanecerá em acompanhamento com o ortopedista. Temos por função orientar as atividades físicas mais apropriadas para cada caso. Não vamos substituir, mas agregar com informações que beneficiarão os pacientes”, argumenta.




Veja Também

  • DR. PAULO TOGNI
    DR. PAULO TOGNI

    SAÚDE > Médico Nuclear e diretor administrativo do Hospital Ielar