Edição 131

Clique na imagem abaixo para folhear nossa revista



CURTA NOSSA PÁGINA

VOCÊ ESTÁ EM: HOME / SAÚDE /

Cuidados Pós-Cirúrgicos:

Dr. Carlos Roberto Antonio
Foto: Milton Flávio

Cuidados Pós-Cirúrgicos:
Procedimentos secundários à cirurgia plástica para eliminar ou reduzir estrias e cicatrizes 


SEM LEGENDA
 
Hoje em dia, são muitas as pessoas que realizam cirurgias plásticas, principalmente no que diz respeito aos procedimentos de colocação de prótese de silicone, lipoaspiração e liftings faciais. Embora, na maioria dos casos, os pacientes atinjam seus objetivos de forma inicial, alguns ficam descontentes em relação à cicatriz que resta após a cirurgia. Para esses casos, existem lasers fracionados que podem suavizar, tornar discreta, ou mesmo imperceptível. Temos dezenas de pacientes tratados com essas tecnologias, com excelentes resultados, tanto para cicatrizes diversas, quanto para estrias que, às vezes, aparecem após a distensão da pele das mamas, pela colocação de uma prótese. Para pacientes que colocaram prótese e resta uma cicatriz na região abaixo da mama, ou ao redor da aréola, podem ser realizados o laser de “CO2 fracionado”, para reduzir a espessura, e o laser “Erbium glass”, para uniformizar a aparência. Nas cicatrizes existentes após a lipoaspiração, algumas sessões de laser “Nd:YAP 1340nm” promovem suavização da cor avermelhada, ou sinal que denuncia o procedimento. Após cirurgias na face (lifting ou mini-lifting), os lasers fracionados (CO2, “Erbium glass” ou “Nd:YAP”) podem, praticamente, tornar despercebida a cirurgia, por meio de retração da espessura da cicatriz e uniformização da mesma. Cirurgias pós-acidentes, queimaduras, pós cesárias ou, após qualquer procedimento cirúrgico, também podem ser tratados com esses lasers fracionados. Quanto às estrias, é desconhecido da população que essas se comportam como cicatrizes, resultado de rápido estiramento e rompimento das fibras colágenas e elásticas. Dessa maneira, as estrias recentes (vermelhas) ou antigas (brancas), apresentam diversas opções de tratamento com essas tecnologias. Em estrias, alternamos as três mais consagradas tecnologias (“laser de CO2 fracionado”, “laser Erbium Glass” – “Fraxel” e laser “Nd:YAP” 1340nm) a fim de atingirmos camadas diferentes, eliminando as fibras danificadas, estimulando novas, promovendo diminuição da espessura e uniformização das mesmas. Qualquer tipo de estria responde muito bem em 95% dos casos quando, obviamente, existe um conhecimento e treinamento adequado do dermatologista e uma boa tecnologia é utilizada.   
Dois fatos são muito importantes a serem enaltecidos e esclarecidos sobre complicações e sucesso de tratamento:
1 - Cicatrizes pós-cirurgia são frequentes e, na maioria dos casos, independem do cuidado e capricho do cirurgião. Tipo de pele, localização da cirurgia, cuidado no período pós-operatório, fumo, álcool, uso de medicamentos anticoagulantes, falta de repouso, exercícios inadequados, podem agravar a cicatriz;
2- Também lembrar que esses procedimentos à laser devem ser, preferencialmente, realizados por médicos especialistas das sociedades competentes. 



Dr. Carlos Roberto Antonio - CRM 83.817 - RQE 39231
Professor Responsável pela Cirurgia Dermatológica e Laser da Famerp e Titular da Clínica Pelle - São José do Rio Preto/SP. Membro da Academia Americana de Dermatologia, Sociedade Brasileira de Dermatologia e Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica.  



Veja Também