ÚLTIMAS DA REDAÇÃO

VOCÊ ESTÁ EM: HOME / SAÚDE /

A Vez e a Hora Delas...

Artigo
Dr. Jorge Seba
Foto: Milton Flávio

A Vez e a Hora Delas...
As Mulheres com 50 Anos

SEM LEGENDA


A tradicional imagem da mulher madura, na faixa dos 50 anos, sendo uma senhora do lar, com cabelos brancos, sentada em uma cadeira de balanço, fazendo tricô, já não existe mais. Atualmente, as mulheres nessa faixa etária ainda arrancam suspiros e marcam apenas mais uma fase da vida, que muitas delas afirmam, sem demagogia, ser a melhor!
Saber lidar com os desafios, de forma mais serena, e aproveitar o dia a dia de uma maneira diferente, devido às experiências adquiridas até então, tornam-se um trunfo para essas mulheres.
Segundo relatos de muitas dessas mulheres, incluindo pacientes, seu ponto fraco nessa faixa etária está nas alterações que ocorrem com a pele e, consequentemente, com o corpo, resultando em insegurança por grande parte dessas (as alterações ocorrem, principalmente, devido à redução na taxa hormonal).
Nos dias atuais, podemos realizar uma cirurgia plástica facial ou corporal, com resultados infinitamente melhores, pois proporcionam um aspecto mais natural e sem estigmas. Com isso, a cirurgia plástica vem ganhando cada vez mais credibilidade e, consequentemente, mais adeptos.
A flacidez das mamas é a principal queixa nas clínicas especializadas, em que as mulheres desejam “apenas” reposicionar os seios, ao contrário das garotas mais jovens, cuja tendência é cada vez mais aumentar o volume. As mulheres mais maduras desejam seios menores (mais discretos) e mais firmes.
As alterações no abdômen também são muito frequentes e, da mesma maneira, ao contrário das jovens, elas desejam um abdômen mais natural, com mais curvas, e não um corpo atlético e “chapado”.
Os mini liftings faciais, associados à utilização de toxina botulínica (botox) e preenchimento (ácido hialurônico), têm tido resultados fabulosos, pois rejuvenescem de uma maneira mais harmoniosa, melhorando muito o contorno da face. O mini lifting facial é a cirurgia plástica minimamente invasiva da face. Tem como objetivo reduzir ou atenuar os efeitos do envelhecimento sobre a pele do rosto, sem provocar grandes modificações, apenas atenuando pequenas imperfeições ou marcas de expressão. Diferencia-se do lifting de face convencional, por permitir cicatrizes menores ou reduzidas, o suficiente para atuar especificamente em determinadas áreas do rosto.
O mini lifting ou lifting facial moderno não deixa a sensação de “pele
esticada”. O fundamento da cirurgia se baseia no reposicionamento das estruturas internas (ao local de origem, como observado na idade jovem) e, depois, retorno da pele sobre essas estruturas internas modificadas. O excesso de pele se apresenta nesse momento, não necessitando tração excessiva, o que deixa um semblante natural e harmônico.
Geralmente são mulheres jovens, em torno dos 40 anos de idade, insatisfeitas com determinadas características faciais que denunciam o envelhecimento, que optam, em sua maioria, pelo procedimento. Apesar de todas essas técnicas avançadas, na segurança dos procedimentos e no desejo de melhora, a principal questão é a autoestima. Por isso, a importância de um bom diálogo com o cirurgião plástico na hora de decidir sobre quais são os melhores procedimentos, como também quais são as reais necessidades.

Dr. Jorge Seba - Cirurgião plástico
Médico cirurgião plástico especialista, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.



Veja Também